Booby trap

Os Booby Trap nasceram em 1993 na cidade de Aveiro e marcaram uma época com o seu som thrash metal/hardcore crossover, da sua formação original faziam parte Pedro Junqueiro (voz), Pedro Azevedo (guitarra), Miguel Santos (bateria) Nuno Barbosa (guitarra) e Ricardo Melo (baixo).

Lançam a sua demo de estreia “Brutal Intervention”em 1994 e o split CD “Mosh It Up” em 1996 com as bandas brasileiras T.I.T. e Locus Horrendus entre várias outras aparições por diversas colectâneas. Deram mais de uma centena de concertos, partilhando palcos com bandas de renome como Cruel Hate, Inkisição, Dorsal Atlantica, G.B.H., Cradle Of Filth, Gorefest, Grave, Hypocrisy, Moonspell, Primitive Reason, Hate Over Grown, Genocide, WC Noise, entre muitas outras e tocaram em locais míticos do rock/metal em Portugal como o Johnny Guitar, Cave das Quimicas, Voz do Operario, C.T.S. De Celas ou o festival Penafiel Ultra Brutal. Foram pioneiros e deram a cara por um movimento musical desenvolvido na região que viria a ser conhecido a nível nacional como “Aveiro Connection”.

Após o seu prematuro desaparecimento em 1997, os seus elementos deram origem a varias outras bandas como Anger, Konk, Superego, Strange Airplane, Snowball e Wild Bull. Reúnem-se em 2012 com uma formação renovada, entrando para o baixo Carlos Ferreira (ex-Deep Pression e Hu-Matic) e em novembro de 2013 lançam por conta própria um novo album “Survival”, album este que seria re-editado em 2014 pela Non Nobis Productions em formato CD e pela SASG Records em vinil. Em maio de 2015 Miguel Santos decide dar por terminada a sua colaboração com a banda por questões pessoais entrando para o seu lugar, Hugo Lemos.

Depois de promoverem o album “Survival” durante 3 anos com diversos concertos por todo o país onde tocaram ao lado de nomes como Bulldozer, Ratos de Porão ou Malignant Tumour, gravam o segundo longa duração da carreira, “Overloaded” com lançamento em outubro de 2016 pela Firecum Records.

Em 2017 lançam dois splits com a banda punk Albert Fish e o EP “Drunkenstein” mais uma vez com o selo da Firecum Records.