The Godiva

The Godiva formou-se em Setembro de 1999.
A sonoridade de The Godiva pode ser definida como algo entre death metal melódico e gothic metal, com alguns ambientes obscuros e envolventes, providenciados
principalmente pelos teclados.
No virar do século The Godiva lançou o seu primeiro material. Uma promo intitulada “Tales to be Untold”. Foi um bom começo para nós e permitiu à banda começar a construir um nome para si mesma.
Dois anos depois, em 2002, The Godiva lançou o EP “Traces of Irony”, gravado nos Estúdios Rec n’ Roll e produzido por Luís Barros (Tarântula) e Rui Danim.
Este lançamento ajudou a banda a evoluir e a tornar-se uma referência no
underground metaleiro português. Boas críticas e muitos concertos ajudaram a
divulgar o nome The Godiva por todo o país e além fronteiras.
Depois de agumas mudanças e reajuste no seu line-up, devido a vários motivos, The Godiva voltou em grande e, em 2007, voltou ao estúdio para gravar o seu primeiro álbum “Spiral”. Este lançamento, gravado e produzido nos Estúdios Ultrasound por Daniel Cardoso (Sirius / Anathema), permitiu a The Godiva crescer ainda mais e participar nos principais festivais e palcos da música alternativa em Portugal.
“Spiral” recebeu excelentes críticas e foi um ponto de exclamação no que diz respeito à capacidade da banda em provar a sua qualidade e versatilidade.
Infelizmente, algures em meados de 2010, devido principalmente a razões
profissionais, vários membros tiveram que abandonar The Godiva e os restantes decidiram terminar o projeto ou, pelos menos colocá-lo em modo de stand-by.
Oito anos depois, The Godiva prepara-se para regressar das sombras e lutar, uma vez mais, por um lugar de destaque no género.

2018 vai ser um novo começo para The Godiva – um novo lançamento e alguns
concertos de apresentação estão a ser preparados – e praticamente uma nova banda, uma vez que apenas três elementos da última formação manter-se-ão: Pedro Faria (voz); Ricardo Ribeiro (guitarra) and A. Sampaio (baixo).